Justiça confirma demissão por justa causa de funcionária que recusou vacina contra covid

Pela primeira vez, a Justiça confirmou, em segunda instância, a demissão por justa causa de um funcionário que se recusou a se vacinar contra a covid-19. A decisão é do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo e atinge uma auxiliar de limpeza hospitalar que se recusou a se imunizar. O acórdão foi publicado dia 19, segunda-feira.

O entendimento do órgão foi de que o interesse particular do empregado não pode prevalecer sobre o coletivo. Foi a primeira decisão nesse sentido, segundo advogados especialistas nesse tipo de ação.

Em fevereiro deste ano, o Ministério Público do Trabalho (MPT) já tinha orientado que os trabalhadores que se recusassem a tomar vacina contra a covid-19 sem apresentar razões médicas documentadas poderiam ser demitidos por justa causa.

Fonte: Estadão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Fale conosco

  • 51 3237 1635
× Contate-nos agora mesmo!