PIB do agronegócio nacional cresce 9% e alcança R$ 1,75 tri em 2020

Mesmo com a pandemia de Covid-19, que afetou a economia mundial, o agronegócio brasileiro venceu os desafios e vai encerrar o ano com crescimento de 9% no Produto Interno Bruto (PIB), frente a 2019, somando R$ 1,75 trilhão. A maior demanda interna e externa pelos vários produtos agrícolas e pecuários, a valorização dos preços e aumento de produção são fatores que contribuíram para o incremento significativo.

O crescimento do setor deve ocorrer também em 2021, respaldado em uma recuperação da economia mundial e maior produção de alimentos. A projeção é de um aumento de 3% sobre o PIB de 2020. Os dados foram divulgados, ontem, pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Segundo o presidente da CNA, João Martins da Silva Junior, mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia de Covid-19, o agronegócio brasileiro conseguiu superar e atender a demanda tanto no mercado interno como do externo, o que foi importante para o resultado positivo visto no setor em 2020.

“Este ano, a pandemia, infelizmente, isolou toda a humanidade e nós, rapidamente, procuramos, na medida do possível, corrigir as deficiências e ajudar o produtor no que fosse necessário. Nós, da CNA e entidades ligadas, trabalhamos com agilidade para amenizar os impactos da pandemia. No primeiro momento, fizemos de tudo para que a população não ficasse desabastecida, e também para conseguirmos cumprir os contratos de exportação”.

Ainda segundo Martins, hoje, o Brasil tem uma grande responsabilidade de abastecer diversos países, são mais de 167 países para os quais os produtos agrícolas e pecuários são enviados.

“Estamos vivendo momento anormal em todo o mundo e a recuperação da economia do Brasil vem acontecendo, puxada, principalmente, pelo nosso setor”.

VBP – Em 2020, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) também tende a ficar maior. A projeção é de um incremento de 17,4% frente a 2019, com o faturamento estimado em R$ 903, bilhões.

O setor agropecuário também foi destaque na geração e empregos, com 102.911 vagas criadas entre janeiro e outubro. As exportações cresceram 5,7% em receita, que encerrou os 10 primeiros meses de 2020 em US$ 85,8 bilhões. Em volume a alta foi de 12%. Os cinco principais destinos foram: China, União Europeia, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, que juntos representaram 63% do total das exportações brasileiras em 2020.

“Encerramos 2020 com o setor mostrando a sua importância, não só nos números positivos de exportação, PIB e VBP, mas, principalmente, no ponto de vista social. As políticas públicas feitas na década de 70, com os pilares da tecnologia, crédito rural da assistência técnica apresentaram resultados neste momento de crise. O País conseguiu passar o momento de pandemia abastecido e garantir todos os acordos comerciais, fazendo com que o setor continuasse produzindo”, explicou superintendente técnico.

 

Fonte: diariodocomercio.com.br/agronegocio

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Fale conosco

  • 51 3237 1635
× Contate-nos agora mesmo!